Arquivo da categoria: Mundo unido

O “Top10″ do Papa Francisco sobre a Felicidade.

papa2 O Top10 do Papa Francisco sobre a Felicidade.

Papa Francisco concedeu uma entrevista à revista argentina Viva, publicada no dia 27 de julho, em que deixou para os leitores algumas dicas preciosas para ajudar na busca da felicidade. Eis os 10 conselhos do Papa:

1) Viver e deixar viver, primeiro passo para a felicidade
“Aqui os romanos têm um ditado e podemos levá-lo em consideração para explicar a fórmula que diz: ‘Vá em frente e deixe as pessoas irem junto’.” Viva e deixe viver é o primeiro passo da paz e da felicidade.

2) Doar-se aos outros para não deixar o coração dormindo
“Se alguém fica estagnado, corre o risco de ser egoísta. E água parada é a primeira a ser corrompida.”

3) Mover-se com humildade, com benevolência entre as pessoas e as situações
O Papa usa o termo “remansadamente”, de um clássico da literatura argentina. “No [romance] ‘Dom Segundo Sombra’ há uma coisa muito linda, de alguém que relê a sua vida. Diz que em jovem era uma corrente rochosa que levava tudo à frente; quando adulto era um rio que andava para a frente e que na velhice se sentia em movimento, mas remansado. Eu utilizaria esta imagem do poeta e romancista Ricardo Guiraldes, este último adjetivo, remansado. A capacidade de se mover com benevolência e humildade, o remanso da vida. Os anciãos têm essa sabedoria, são a memória de um povo. E um povo que não se importa com os mais velhos não tem futuro.”

4) Preservar o tempo livre como uma sadia cultura do ócio
“O consumismo levou-nos a essa ansiedade de perder a sã cultura do ócio, desfrutar a leitura, a arte e as brincadeiras com as crianças. Agora confesso pouco, mas em Buenos Aires confessava muito e quando via uma mãe jovem perguntava: Quantos filhos tens? Brincas com os teus filhos? E era uma pergunta que não se esperava, mas eu dizia que brincar com as crianças é a chave, é uma cultura sã. É difícil, os pais vão trabalhar e voltam às vezes quando os filhos já dormem. É difícil, mas há que fazê-lo”.

5) O domingo é para a família
“Um outro dia, em Campobasso (Itália), fui a uma reunião entre o mundo universitário e mundo trabalhador, todos reclamavam que o domingo não era para trabalhar. O domingo é para a família”.

6) Ajudar de forma criativa os jovens a conseguir um emprego digno
“Temos de ser criativos com este desafio. Se faltam oportunidades, caem na droga. E é muito elevado o índice de suicídios entre os jovens sem trabalho. Outro dia li, mas não me fio porque não é um dado científico, que havia 75 milhões de jovens com menos 25 anos desempregados. Não basta dar-lhes comer, há que inventar cursos de um ano de canalizador, electricista, costureiro. A dignidade de levar o pão para casa”.

7) Cuidar da natureza, amar a criação
“Há que cuidar da criação e não o estamos fazendo isso. É um dos maiores desafios que temos.”

8) Esquecer-se rapidamente do negativo que afeta a vida
“A necessidade de falar mal de alguém indica uma baixa auto-estima. É como dizer ‘sinto-me tão em baixo que em vez de subir baixo o outro’. Esquecer-se rapidamente do negativo é muito mais saudável”.

9) Respeitar o pensamento dos outros
“Podemos inquietar o outro com o testemunho para que ambos progridam com essa comunicação, mas a pior coisa que se pode fazer é o proselitismo religioso, que paralisa: ‘Eu dialogo contigo para te convencer’. Não. Cada um dialoga sobre a sua identidade. A Igreja cresce por atração, não por proselitismo”.

10) Buscar a paz é um compromisso
“Vivemos uma época de muitas guerras. Na África parecem guerras tribais, mas são algo mais. A guerra destrói. E o clamor pela paz é preciso ser gritado. A paz, às vezes, dá a ideia de quietude, mas nunca é quietude, é sempre uma paz ativa”.

Fonte: Aleteia 

Publicado na Revista da PUCSP meu artigo sobre Levinas e as lições da ética judaica.

RESUMO

A redescoberta da noção bíblico-talmúdica de responsabilidade se apresenta como uma alternativa, no âmbito da reflexão teológica, às
insuficiências da ética baseada no projeto filosófico da modernidade. Neste contexto, o resgate do ineditismo de tal responsabilidade revela uma relação fecunda entre o pensamento judaico e a teologia moral. O presente artigo, com o intuito de demonstrar esta fecundidade, apresenta o vigor ético da sabedoria veterotestamentária, partindo da perspectiva do filósofo judeu Emmanuel Levinas.

Palavras-chave: Responsabilidade, ética, Judaísmo, humanismo

Segue o link:

http://revistas.pucsp.br/index.php/reveleteo/article/view/19720/14602

As 4 leis da Espiritualidade ensinadas na Índia.

indias As 4 leis da Espiritualidade ensinadas na Índia.

A primeira diz: “A pessoa que vem é a pessoa certa“.

 Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, têm algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A segunda lei diz:  “Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido“.

Nada, absolutamente nada do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” ou “aconteceu que um outro…”. Não. O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

A terceira diz: Toda vez que você iniciar é o momento certo“.

 Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.

 E a quarta e última afirma:  “Quando algo termina, ele termina“.

 Simplesmente assim. Se algo acabou em nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor sair, ir em frente e se enriquecer com a experiência. Não é por acaso que estamos lendo este texto agora. Se ele vem à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado.

10 pequenas lições (éticas ou nem tanto) que aprendi em 2013.

 10 pequenas lições (éticas ou nem tanto) que aprendi em 2013.

Já confessei minha paixão por listas.  O ano de 2013 foi particularmente rico em significados, em disputas, perdas e ganhos. Vamos às lições aprendidas:

1) Pessoas não são confiáveis. Como eu e você todas tem seu defeito de fabricação. Algumas porém extrapolam. A lição do ano foi: não deposite confiança, não acredite que alguém não possa te decepcionar. Em relação aos seus amigos: goste deles, continue cultivando à amizade, continue! Parece contraditório mas existe uma diferença entre gostar de alguém e depositar neste alguém a confiança de que esta pessoa não poderá em algum momento te machucar.

2) Escolha bem os seus grandes amigos. O mundo te julgará pelas pessoas que estão do seu lado e por tudo o que você gosta de fazer ao lado delas.  Tem que valer a pena.

3) As pessoas também podem nos surpreender positivamente. Então, não crie expectativas, apenas surpreenda-se. Em outras palavras, as coisas boas que os outros podem fazer por você deveriam ser almejadas, mas nunca pretendidas.

4) Se você pode, beba. Nem que seja um pouco. Nem que seja café expresso. É um habito que nos ajuda a socializar e meia hora de conversa fiada pode ser mais proveitoso que uma manhã inteira de reflexões solitárias. Lembre-se das lições acima e sabia escolher quem te acompanha numa cerveja, vinho ou chá da tarde.

5) A música tem poder.

6) Seus superiores (ou esposa(o), ou companheiro(a)) gostam de dizer que estão prontos para a verdade e que devemos ser verdadeiros com eles. Mas eles estão mentindo para eles mesmos. Seja verdadeiro o quanto quiser, mas antes de tudo seja prudente. Silêncio é bom e conserva muita coisa.

7) Quando te disserem que você é especial, lembre-se que este elogio não paga suas contas, nem te garante um melhor emprego.

8) Faça um processo de coaching com um bom profissional.

9) No Coach descubra que crenças são limitadoras e que a verdadeira espiritualidade te liberta.

10) Aconteça o que acontecer: força sempre! A vida tende a dar certo.

 

10 pontos de vista sobre o amor ou, o amor: de Madre Tereza à Oscar Wilde.

248027 533803673346918 545837285 n 10 pontos de vista sobre o amor ou, o amor: de Madre Tereza à Oscar Wilde.

Listas encantam. Fiz meu Top10 de frases que realmente aprecio. Claro, sobre o amor.

1) “Porque quem ama nunca sabe o que ama nem sabe porque ama, nem o que é amar. Amar é a eterna inocência, e a única inocência é não pensar.” Fernando Pessoa

2) “Ser profundamente amado por alguém nos dá força, amar alguém profundamente nos dá coragem.” Lao Tse

3) ” Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você se decepciona. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.” Madre Tereza de Calcuta

4) “Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer,
não importa.
Já está declarado e estampado
nas linhas e entrelinhas
deste pequeno poema” (Trecho do “Poeminha amoroso” de Cora Coralina)

5)  “De sofrer e de amar, a gente não se desfaz.” João Guimarães Rosa.

6) “Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura.” João Guimarães Rosa (Again)

7) “Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.” Clarice Lispector

8) “A fé não é uma questão de existência ou não existência de Deus. É acreditar que o amor sem recompensa é valioso.” Emmanuel Levinas.

9) “No amor, o que vale é amar.” Chiara Lubich

10) “As mulheres existem para que as amemos, e não para que as compreendamos.” Oscar Wilde.

 

Papa Francisco chama os judeus de “irmãos mais velhos”

 Papa Francisco chama os judeus de “irmãos mais velhos”

Me emociona ver a sabedoria e a humildade do atual Papa da Igreja Católica. Neste domingo, em palavras de solidariedade pelo 75º aniversário dos ataques contra judeus e seus bens na Alemanha nazista (em um triste momento que ficou conhecido como a Noite dos Cristais), o Papa Francisco disse que os saques às casas, negócios e sinagogas dos judeus, em  9 de novembro de 1938, no qual dezenas deles foram mortos, marcou um terrível passo da Alemanha nazista rumo ao Holocausto. Eis suas palavras:

“Renovamos nossa proximidade e solidariedade ao povo judeu, os nossos irmãos mais velhos, e oramos a Deus para que a memória do passado e dos pecados do passado nos ajude a estar sempre vigilantes contra toda forma de ódio e intolerância”.

De fato esse é o título mínimo que os cristãos devem ao povo judeu. É um passo fraterno e um reconhecimento de que, como ensinou Jesus à samaritana, “a salvação vem dos judeus.” A eles, aos cristãos e a todos, indo dormir mais feliz, o meu Shalom! Shavua tov! (A paz! Boa semana!)

Chiara Lubich fala a cristãos e muçulmanos sobre o amor de que o mundo precisa.

O diálogo e o respeito entre pessoas de diferentes crenças religiosas me fascina. Por isso, publico um vídeo (dublado em português) onde Chiara Lubich, Fundadora do Movimento dos Focolares, contribui para a construção da fraternidade universal, falando sobre o amor, a Biblia e e o Alcorão ao contar sua história e seu sonho de construir a fraternidade universal.